6 de jul de 2006


Sem rumo

Tens o feitiço da leviandade
Não tens sul nem norte
Nem o rumo de tua vontade
Uma promessa de beijos
Segredos doloridos
Vida bandida, escondida
Na rua encardida
Procuras os laços
Oa abraços insanos
E o cais...
Dos meus braços.

anamariaw

2 comentários:

mercedes rescarolli disse...

Quanta sensibilidade!!!!!!!!!
adorei !!!!!!!

éric disse...

Poxa Ana,
A cada dia me apaixono em escrever!
E elogios vindo de ti só alimentam minha alma poética...

Beijos e saudações Poéticas

Éric Meireles de Andrade