7 de ago de 2009

HOMENAGEM AOS MEUS AMIGOS














PURA E SIMPLES


Oswaldo Antônio Begiato

Eu poderia vir aqui

e olhando dentro da tua inusitada alma
dizer que você é mais bonita
do que o avental pintado à mão
que minha mãe colocava aos domingos,
quando se preparava para fazer o nosso almoço,
em frente ao fogão à lenha.
Foi minha primeira visão de suavidade!

Eu poderia vir aqui
e olhando dentro de tuas meiguices raras
dizer que você é mais bonita
do que a gravata borboleta azul marinho
que meu pai, orgulhoso de sua fé e orgulhoso da fé
que imaginou que eu tivesse,

enfeitou meu pescoço
quando fiz a primeira comunhão.
Foi minha primeira visão de santidade!

Eu poderia vir aqui
e olhando dentro de teus lugares ocultos
dizer que você é mais bonita
do que a doída canção“Santa Lucia”
que meu avô ouvia sua gente cantar nos casamentos
e chorava e soluçava e se lembrava da Itália
de onde tinha partido muito moço com o coração partido.
Foi minha primeira visão de saudade!

Eu poderia vir aqui
e olhando dentro de teus olhos rimados
dizer que você é mais bonita
do que o soneto de Vinícius de Moraes
com que minha primeira namorada,
equivocadamente apaixonada,
fez a dedicatória no livro que me deu de presente,
quando demos o nosso primeiro beijo.
Foi minha primeira visão de eternidade!

Mas escolhi dizer:
- Você é linda!
Puramente.

25 de jul de 2009

HOMENAGEM AOS MEUS AMIGOS












POEMAS DE ALEXANDRO COSTA

A eternidade de um segundo
A brevidade do infinito

Um segundo
Um beijo
Um segundo
Um toque
Um segundo sem você
Tempo demais pra que eu suporte

Num segundo, te vejo
Em menos tempo me apaixono
Passa o tempo e não te vejo
Passa a vida e não te encontro

Mas se te acho, muda tudo
Vida toda é pouco tempo
Eternidade é um só momento
Se te tenho do meu lado

Nosso tempo é relativo
Nosso mundo é separado
Se lá fora o tempo voa
Nosso instante está parado

(Alexandro Sousa Costa)

3 de mar de 2009

SEGUNDOS - Márcio Beckman.













SEGUNDOS


Onde está a âncora do tempo
Que me arrasta sem se deter?
Porque vivo a dor e o sofrimento
De um futuro que não posso prever?

Na história desse antigo mundo
Dissolvo-me nas infinitas horas
Numa vida de poucos segundos
Reduzidos em minha memória

Um futuro que chega veloz
Não o vejo, mas ouço sua voz
No qual cada momento é importante
Vivo num dinamismo cego e alucinante

Terei eu um destino irrevogável?
Um futuro negro ou agradável?
Então que seja ao menos interessante!
Ass.: Márcio Beckman.


12 de fev de 2009

PENITÊNCIA














P E N I T Ê N C I A . . .



aguardo que o Sol se ponha;
que o Céu então escurecendo
ganhe a cor da Lua cheia;
que estrelas pontilhem
em cada milímetro de meus olhos;
que renasçam as lembranças,
todas elas, de todos os dias;
que a saudade, ela sempre,
chegue de mansinho, e
na alma me faça um carinho;
no coração traga a dor,
a mesma a dor gostosa de sempre;
que eu chore, como choro
com o choro apaixonado
de todos os dias,
mas que continue te sentindo
viva em mim, todas as noites,
em meus sonhos e suspiros;
pois só tua presença,
ainda que longe e ausente,
deixa pra mim a noite
com gosto de um amanhã
de manhãs claras, brilhantes...
enfim, com jeito de você !



(Tadeu Paulo -- 2009-02-11)

9 de fev de 2009

GUSTAVO DRUMMOND

















ANA: Deus me deu o maior dos tesouros: a amizade e carinho, virtual ou real, de pessoas que tem um valor inestimável em minha vida. E me deu mais: a graça de nascer no dia em que minha mãe fazia aniversário, e completava um ano de casada.
Meu carinho e agradecimento a voce.
QUANDO NASCI
chovia em cores,
chuva amena.
era tarde da noite,
era alvorada
de minha vida.
anjos inquietos
e sorridentes
voavam alvoraçados.
flores cantavam distráidas
um canto campestre.
meu choro era
na cadência e compasso
de um bolero latino.
corria uma enxurrada de versos,
que molhava meu sono,
meus primeiros sonhos,
que vivem até hoje.
raios de amor,
trovões apaixonados
riscavam o céu,
luziam na terra,
na minha alma nova.
sou filho da poesia,
e do bom combate.
houve e havia,
intrínseco a imagem de um vate
medieval,
guardado nos caminhos meus.
um carnaval,
abençoado por Deus!...
[gustavo drummond]

* FELIZ ANIVERSÁRIO GUSTAVO! BEIJOS DA ANINHA.

4 de set de 2008

HOMENAGEM AOS MEUS AMIGOS

OSWALDO ANTÔNIO BEGIATO
















MINHA PEQUENINA FELICIDADE
Oswaldo Antônio Begiato

...recebi um e-mail
dando conta de que
minha felicidade
depende de mim...

...depende nada...
...depende coisa nenhuma...

...minha felicidade, pelo menos,
depende, e muito, dos outros...

um olhar terno...
um acolher eterno...
um bom dia...
uma doce poesia...
um gesto miúdo...
um ficar agudo...
uma delicadeza intensa...
uma certa presença...
uma sentinela fiel...
um pedido de anel...
um carinho sem jeito...
uma criança no peito...
um esperar aflito...
um chegar do infinito...
um não partir doído...
um parir atrevido...
um pão com manteiga...
uma mão mais ou menos meiga...
um acobertar no inverno...
um aconchego materno...


um copo de leite quente,
um abraço quente,
um coração quente,
um sentir quente,
um beijo quente...


...minha felicidade,
felizmente,
depende de gente quente...

...que bom que é assim...
...que bom!


3 de jun de 2008

EDSON FILHO









Aninha e a poesia
Eu...amigo da poesia? Deus obrigado!
Me sinto privilegiado, até encantado,
Compartilhar das suas relações metafóricas,
Das suas sonoridas alegóricas,
De realiadade ficcionada da mímese Aristotélica,
Vivendo na vida, uma amizade real-ficcional,
Que de tão especial, se tornou Arte Poética!
"No princípio, Era o Verbo estava com Deus,
E o Verbo era Deus (...)" diz a Bíblia!
Mas aqui, no princípio era a Poesia,
E a Poesia dos versos meus,
Estava com Ana wagner, nos versos Seus,
E a Poesia, as Metáforas, Os versos,
Não mais se pertenciam,
Todos se tornaram um só "universo",
Aninha, que os escreves com perfeição e magia!


Edson Filho, em 01/03/08 ( Te dando as boas-vindas e dizendo que estar com muitas saudades dos teus recadinhos, minha poetiza pictográfica!)




5 de mai de 2008

HOMENAGEM AOS MEUS AMIGOS

VOTO









VOTO
Oswaldo Antônio Begiato

quero sempre que venhas
não importa a hora que chegues
nem o dia
nem a roupa com que venhas
quero que venhas
quero te ver
quero te tocar
quero te amar
te amar
te amar...
não só com o coração
mas com todos os meus músculos
e todas as veias do meu sangue

quero te dar uma folha de hortelã
e quero que o perfume dela se misture com o teu
e quero que fique em minhas mãos
um pouco do teu perfume
e um pouco do perfume da hortelã
...quero não te esquecer....

quero a saliva de tua boca
e quero misturar a saliva da minha boca
com a saliva da tua boca
quero o teu beijo
selando o meu amor...
registrando-o em cartório
e reconhecendo tua firma

quero asas
muitas asas...
asas na imaginação
asas nas tuas costas
asas no teu ventre
asas nas fibras de minha alma
quero asas
asas para voarmos juntos...

quero o irreparável
o irreparável complacente de casas abandonadas
de perdas incompreensíveis...
quero o irreparável
o irreparável vermelho
do pôr-do-sol
da angústia
da solidão.
...quero ficar pensando na tua presença

quero todos os teus nós
teus enroscos.
quero assumir todas as tuas dívidas
todas as tuas dúvidas.
quero todos os teus pecados
enlaçados com os meus pecados.
quero cometer contigo
todos os erros possíveis
quero que erremos pela vida

quero todos os sabores
quero o sabor da compaixão
do ciúme
da saudade
da traição
da volta.
de todas as voltas
de muitas voltas...
...quero todo o sabor da tua fruta

quero te oferecer todas as minhas lágrimas
quero que minhas lágrimas te sejam doces
quero que me vejas sofrer
e quero que meu sofrimento
seja teu alento
seja teu alimento
seja teu acalanto.
...quero chorar pelo teu amor...

quero a tua palidez
a palidez de tua casca
a tua pálida personalidade
a tua fragilidade
a tua flacidez
a tua feminilidade...
quero a palidez de tuas palavras
de teus pensamentos
quero a tua proteção e o teu conselho

quero o teu abandono
quero ser abandonado
pelas tuas entradas
pelo teu sorriso
pelos teus gestos
quero o teu abandono
que ele me retalhe
me divida
me reparta
me distribua
quero que me recolhas...

quero depois brotar como um broto virgem
brotar do nada
brotar do centro da terra
do centro da lua.
do teu centro
do teu misterioso centro
quero ser o teu poema

quero de ti fazer uma jóia
de cor azul
de coral azul
descaradamente azul
quero de ti fazer uma jóia
rara
relevante
irreverente
estreita como o teu pescoço
quero-te princesa...

quero a tua alucinação
tuas desconfianças
teus bichos
quero todas as tuas loucuras
e quero tuas loucuras enlouquecendo as minhas.
quero que sejas livre

quero os teus temores
o teu medo de altura
o medo do inferno
o medo da fome
o medo da morte
da falta de sorte
o medo do teu destino.
os mais cretinos medos
todos os teus medos eu quero
juro que quero

quero tua transparência
quero ver além de ti
além de tua alma
além de tua calma
além de teu além.
quero te ver limpa
cristalina
quero te ver como cascata
de águas puras
quero ver tua mais pura pureza!

quero teus espinhos
espinho por espinho
espetado nas minhas pétalas.
e que teus espinhos
sejam meus caminhos
e que teus caminhos
sejam meus espinhos
quero te ver linda
quero te ver camomila
chá quente d e pétalas secas.

quero te ver vermelha
te ver verde
verdejantemente avermelhada
como uma vergonha
quero te ver com teus pudores
com teus preconceitos
com tua inocência
quero tua bondade me incomodando

e quando então
te separares das estrelas
e te tornares
melissa única na escuridão da noite
quero te ver
luz
luz rosa
rosa flor
flor-de-maio
flor do ano todo
quero te ver eterna

e, se nessa noite escura,
noite escura de melissa única
vires ao invés de uma
duas melissas
serei eu a teu lado flor menor
perdida no infinito
no infinito de tua vastidão
querendo ser para ti único


assim, vagando à busca de um elo,
que permita unir tua essência
à essência da espera
à essência da presença
à essência da perseverança
estarei esperando
que venhas...
- que venhas como quiseres...

que venhas como um bólido
que venhas donzela ou prostituta
proscrita.
inscrita.
ou escrita com letras góticas
cheia de tatuagens
de brinco
- mas que venhas, brincando venhas...

e eu serei teu escravo
teu bobo da corte
teu arlequim
teu maquiador
teu lixeiro
teu servo.
- e o serei pelo resto de tua vida
pelo resto de minha vida, prometo-te...

e serei feliz
prometo-te...

eternamente feliz...
prometo-te...

como se a vida fosse uma caixa de fósforos...

Begiato

3 de mai de 2008

MENSAGEM DE ZUL










Bom dia, minha querida!!!


Respire bem forte os ares de nossa terra.
Encha o pulmão e o coraçao da coragem
de Ana Terra e da simplicidade e meiguice
de Mario Quintana e ,como eles, como uma
boa Prenda que és escreva teu nome no
livro do presente e do futuro para todas
as anas deste nosso querido pedaço de chão.
Um ótimo sábado pra aí junto de nosso povo,
pisando este solo que é nosso.
Saudades sempre deste do nosso povo e
nossa querência.
Mil bjus,ZuL
--

2 de mai de 2008

EDUARDUS POETA













"Quero fugir... Fugir desse silêncio da noite que começa a me envolver... Quero ir para um lugar onde não haja pensamento e muito menos silêncio... Não quero pensar... Não quero o silêncio... Quero fugir para qualquer lugar que não me encontre até que nasça outro dia e assim eu posso enfim me ver refletido de novo no espelho...!
Eduardus Poeta

* Presente de Edu