5 de abr de 2007

OLHA PRA MIM...


Olha pra mim...

Sonhos sem fronteira

Amor de brincadeira
abismo em meio à bruma
fogueira que arde inútil

Olha pra mim...
.
desafiando a sorte
buscando deuse mortos
lutando com meu norte
numa busca fútil

Olha pra mim...

Te quero, te persigo
me pisas, te perdôo
foges e eu te espero
me tomas e te venero

Olha pra mim...

Tiro flechas de meu peito
cato pedras nos caminhos
para construir o futuro
com as mãos cheias de espinhos

Ana Wagner

Um comentário:

sidney disse...

Olho pra ti e o que vejo
É uma rosa esperando um beijo
Ardência que sabe o que quer,

E a espera te é tão sentida
Que extrais poemas da vida
Na flor que se fez mulher.