5 de mai de 2008

VOTO









VOTO
Oswaldo Antônio Begiato

quero sempre que venhas
não importa a hora que chegues
nem o dia
nem a roupa com que venhas
quero que venhas
quero te ver
quero te tocar
quero te amar
te amar
te amar...
não só com o coração
mas com todos os meus músculos
e todas as veias do meu sangue

quero te dar uma folha de hortelã
e quero que o perfume dela se misture com o teu
e quero que fique em minhas mãos
um pouco do teu perfume
e um pouco do perfume da hortelã
...quero não te esquecer....

quero a saliva de tua boca
e quero misturar a saliva da minha boca
com a saliva da tua boca
quero o teu beijo
selando o meu amor...
registrando-o em cartório
e reconhecendo tua firma

quero asas
muitas asas...
asas na imaginação
asas nas tuas costas
asas no teu ventre
asas nas fibras de minha alma
quero asas
asas para voarmos juntos...

quero o irreparável
o irreparável complacente de casas abandonadas
de perdas incompreensíveis...
quero o irreparável
o irreparável vermelho
do pôr-do-sol
da angústia
da solidão.
...quero ficar pensando na tua presença

quero todos os teus nós
teus enroscos.
quero assumir todas as tuas dívidas
todas as tuas dúvidas.
quero todos os teus pecados
enlaçados com os meus pecados.
quero cometer contigo
todos os erros possíveis
quero que erremos pela vida

quero todos os sabores
quero o sabor da compaixão
do ciúme
da saudade
da traição
da volta.
de todas as voltas
de muitas voltas...
...quero todo o sabor da tua fruta

quero te oferecer todas as minhas lágrimas
quero que minhas lágrimas te sejam doces
quero que me vejas sofrer
e quero que meu sofrimento
seja teu alento
seja teu alimento
seja teu acalanto.
...quero chorar pelo teu amor...

quero a tua palidez
a palidez de tua casca
a tua pálida personalidade
a tua fragilidade
a tua flacidez
a tua feminilidade...
quero a palidez de tuas palavras
de teus pensamentos
quero a tua proteção e o teu conselho

quero o teu abandono
quero ser abandonado
pelas tuas entradas
pelo teu sorriso
pelos teus gestos
quero o teu abandono
que ele me retalhe
me divida
me reparta
me distribua
quero que me recolhas...

quero depois brotar como um broto virgem
brotar do nada
brotar do centro da terra
do centro da lua.
do teu centro
do teu misterioso centro
quero ser o teu poema

quero de ti fazer uma jóia
de cor azul
de coral azul
descaradamente azul
quero de ti fazer uma jóia
rara
relevante
irreverente
estreita como o teu pescoço
quero-te princesa...

quero a tua alucinação
tuas desconfianças
teus bichos
quero todas as tuas loucuras
e quero tuas loucuras enlouquecendo as minhas.
quero que sejas livre

quero os teus temores
o teu medo de altura
o medo do inferno
o medo da fome
o medo da morte
da falta de sorte
o medo do teu destino.
os mais cretinos medos
todos os teus medos eu quero
juro que quero

quero tua transparência
quero ver além de ti
além de tua alma
além de tua calma
além de teu além.
quero te ver limpa
cristalina
quero te ver como cascata
de águas puras
quero ver tua mais pura pureza!

quero teus espinhos
espinho por espinho
espetado nas minhas pétalas.
e que teus espinhos
sejam meus caminhos
e que teus caminhos
sejam meus espinhos
quero te ver linda
quero te ver camomila
chá quente d e pétalas secas.

quero te ver vermelha
te ver verde
verdejantemente avermelhada
como uma vergonha
quero te ver com teus pudores
com teus preconceitos
com tua inocência
quero tua bondade me incomodando

e quando então
te separares das estrelas
e te tornares
melissa única na escuridão da noite
quero te ver
luz
luz rosa
rosa flor
flor-de-maio
flor do ano todo
quero te ver eterna

e, se nessa noite escura,
noite escura de melissa única
vires ao invés de uma
duas melissas
serei eu a teu lado flor menor
perdida no infinito
no infinito de tua vastidão
querendo ser para ti único


assim, vagando à busca de um elo,
que permita unir tua essência
à essência da espera
à essência da presença
à essência da perseverança
estarei esperando
que venhas...
- que venhas como quiseres...

que venhas como um bólido
que venhas donzela ou prostituta
proscrita.
inscrita.
ou escrita com letras góticas
cheia de tatuagens
de brinco
- mas que venhas, brincando venhas...

e eu serei teu escravo
teu bobo da corte
teu arlequim
teu maquiador
teu lixeiro
teu servo.
- e o serei pelo resto de tua vida
pelo resto de minha vida, prometo-te...

e serei feliz
prometo-te...

eternamente feliz...
prometo-te...

como se a vida fosse uma caixa de fósforos...

Begiato

3 comentários:

Oswaldo Antônio disse...

ANINHA,

obrigado pelos constantes elogios, que me são carinhos muito especiais, que tem feito em meu blog, e muito, mas muito obrigado mesmo, por ter colocado VOTO em seu blog..
fiquei emocionadíssimo..
bjos.muitos.w

ana wagner disse...

Wado,considero este poema um dos mais bonitos que já li! É uma honra para mim tê-lo em meu blog!
Beijos, muitos.

Bill Stein Husenbar disse...

Divinal!

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/