21 de out de 2007

LEMBRANÇAS


Lembranças

Sei não restará
carinho nem dor
sei, moram em ti
pedacinhos de mim
não fui passageira
não fui brincadeira
fiz sofrer, sofri
foi fulgurante
o desejo, o beijo
um lampejo
inebriante paixão
em cada linha, doçura
loucura e agora
fico calada
vida pequena
interditada,
resignada,
empresto
meu verso
pra você cantar.

Ana Wagner

2 comentários:

tadeu paulo disse...

Tadeu Paulo:
Depois que se animou, mandou-me um de seus belos e envolventes poemas. Adorei Lembranças... que lindo!
Beijos..

Jeovane disse...

Jeovane:
Aninha, Aninha, querida amiga! Obrigado por seus scraps e carinho... Amei "Lembraças"...
Receba uma poesia de retribuição..EFLEXÃO POÉTICA

Pudera meu brado achar refúgio nos céus!
Avareza acua milhões na inanição.
Animais brutais! Escarnecem da multidão de crianças,
Pequeninas! Sucumbem na tumba da fome...
Meu coração derrete no lume da desolação
Minhas lágrimas são puro sangue no anonimato
Secaram, extintas como os rios e lagos
Meu palato recusa os sabores, aflito estou!
Espécies, mas que depressa esvaecem do planeta.
Shakespeare! Blasfemou do amor na sua dramaturgia
Impondo paradigma na efêmera dedicação de Romeu e Julieta
O amor edifica e jamais se destrói!
Humanos emanam coletiva letargia.
Pudera ecoar nos continentes o grito do poeta descontente.
Músicas? Nossas fêmeas tratadas pejorativamente...
Pura adoração dos incultos procotós.
No toque descuidado de uma borboleta...
Anseio a sintonia com o reino animal.
Na fragrância suave de uma flor, ao beijá-la,
Desejo a simbiose com o domínio vegetal.
Sonhadores! Os poetas são loucos?
“Vós sois o sal que preserva a Terra!”

Nós...
Jeovane Pereira