7 de fev de 2008

OSWALDO ANTÔNIO BEGIATO









PROCRIAÇÃO

Oswaldo Antônio Begiato

Quero-te na tua mais livre
profundidade
Palmilhando as minhas mais insensatas
superfícies
Como se eu fosse um prato raso
Com o ventre repleto de desejos tenros.

Quero-te na tua mais fraterna
lógica
Defendendo as minhas mais insensíveis
demências
Como se eu fosse uma rua estreita
Com o ventre repleto de paralelepípedos turvos.

Quero-te na tua mais igual
exatidão
Inventariando as minhas mais insanas
incoerências
Como se eu fosse um ponto cego
Com o ventre repleto de brotos ternos.

Quero-te, sobretudo, na tua mais pródiga
fecundidade
Alimentando as minhas mais inservíveis
esterilidades
Como se eu fosse tua filha bastarda
Com o ventre repleto de promessas toscas.

Um comentário:

Wadão disse...

Querida Aninha,
Obrigado pela gentileza de publicar aqui uma poesia minha.
Você é de uma gentileza sem igual.
Obrigado minha amiga.
Se cuida.
bjos.carinhosos.w