5 de set de 2007

FEL


FEL

Dedos corroídos
molhados, sangrados
o tempo dá voltas
tudo agora se desfaz
cai das folhas
em silêncio
uma flor murcha
em agonia
licor dos deuses
em trama vegetal
me sirvo dele
e sorvo o fel
final

Ana Wagner

Um comentário:

Anônimo disse...

As palavras são encaixadas com extrema exatidão... Um balé harmônico... Me encanta...

Eduardus Poeta