15 de set de 2007

FOLHA SECA

Folha Seca

Não sou, apenas estou
vazia folha seca
caçadora
encontrando,
o garimpo vazio
de esmeraldas
gosto agridoce
na boca
primavera após
árido inverno
ancoradouro
de luz inebriante
madrugada vadia
deparo olhos tristes
vozes soltas e risos
medos escondidos
dos segredos
pesadelos
passados
temporais
ainda não é hora
de passagem
é brisa morna
flores banais
alvorece...


Ana Wagner

3 comentários:

Poeta da Lua disse...

beijo-te com um sorriso.. fugido

Sir Lurch disse...

Belo poema, lembrou-me de uma poesia minha sobre também uma folha solta ao vento... Poesia q infelizmente até hoje não sei onde foi parar... Vai ver ela própria seguiu à risca o q pretendia dizer, ou seja, falar sobre a liberdade. Bjos! E aí como estás? Nunca mais me fez uma visita...

marcelo disse...

Texto de 1ª qualidade... muito bem preparado por sua alma... a vida é ciclica... Nos faz ficar "up" ou "down" com incrível facilidade... tal como o seu mais poderoso instrumento: o amor... que nos dá o céu ou o inferno... o começo ou o fim... mas nunca passa inerte por nossas sagas... e nossa função enquanto poetas é transmitir isso e confortar os corações que de nós necessitem... mesmo que sejamos apenas uma IDÉIA... Uma sombra de personalidade nas vidas de tantos seres... Esta é nossa missão... linda, ingrata (às vezes), mas nosso legado... a força que irá conosco para a fase pós-vida mundana... excelente fim de semana... Beijos!
Enviado por MARCELO GUIDO