19 de set de 2007

INESPERADO


Inesperado

Me desdobro
em pedacinhos
sem dores de mim
nudez nas palavras
mudez secretas
nos gestos
no toque
indiferente
imagino a fuga
o sol queima
minha retina
sigo em frente
sedução
é sina
entregue
à arte
de amar
inesperada
mente


Ana Wagner

***

7 comentários:

Lenise disse...

Aninha...
Teu Inesperado...é uma coisa!!
Quando eu crescer quero escrever como vc...em poucas palavras falar tanto...está lindo!...
Obrigada querida, pelo carinho de sempre...

Tadeu paulo disse...

Tadeu Paulo:
Olha, INESPERADO, um poema de excelente nível, minha amiga. Que inspiração, hem?
Parabéns...
Beijos..

Lívia disse...

♥♥♥Lívia:
Lindo Aninha!! Parabéns!
Amei sua poesia. Envie sempre pois amo poesia.
Bjs

Americo disse...

Americo:
Belissimo o teu poema senhora!! abraços fraternos internos em teu materno terno coração !!

Nanda disse...

Nanda:
lindo, muito lindo.

edgar disse...

As vezes o inseperado vem muito bem... beijos
Enviado por Edgar Alejandro Quezada Zavala

sônia disse...

Muito bom!Bjss e paz...
Enviado por Sônia Maria Cidreira de Farias