18 de ago de 2007

OUTRO DIA


Outro Dia

O sol rasgou meu sonho
gerado na noite escura
é o parto de outro dia
vida escorre vadia
entre os dedos do tempo
pássaros cegos
noturnas sombras
voam em minha mente
nas cordilheiras esguias
da manhã nascente
a tarde adolescente
veste uma nova roupa
e pelos atalhos de fogo
a vida me escapa aos poucos
pelas veredas perdidas
pelos cantos da boca

Ana Wagner

4 comentários:

Sir Lurch disse...

Mais uma bela poesia de Ana Wagner! Gostei, parece vir das profundesas do seu inconsciente. Bjos!

R.Cássia disse...

Olá Menina! Vim fazer uma visitinha...Desculpe-me por não avisar, normalmente ligo ou deixo um recado mas, quis fazer surpresa.
Entrei, a porta estava aberta e... Que grata surpresa a minha!
Me deliciei lendo suas palavras, viajei, flutuei...Magníficas!
Como é bom encontrar pessoas sensíveis! Obrigada menina! Parabéns! Bjks

aroeira disse...

nossa! adorei:

acender
estrelas do céu
no capítulo final.

e

a vida escapa aos poucos
pelas veredas perdidas
pelos cantos da boca


arrasou: sensibilidade monstruosa. sensa, guria!

bjos pra ti. e obrigado pelas palavras e sentimentos.
hélio

p.s. não te esqueço jamais.

DRYKA disse...

Que linda minha amiga é!!!!

Parabens alma iluminada,
vc me encanta com tanta sensibilidade.


bjinhos