28 de ago de 2007

RITUAL


***
Ritual

Rasgar
retratos
de absurda paixão;
chuva lavada
lágrimas em vão,
subir paredes
da bem-vinda sanidade,
fria passagem
vesperal
que leva ao infinito
da noite;
acender
estrelas do céu
no capítulo final.


Ana Wagner

***

Um comentário:

ELMA disse...

Absurdamente bela e sensível o jogo de sentimentos e palavras.
Parabéns querida poetisa!
Elâine